Foto: Reprodução

Desde o primeiro filme, Tom Hardy se divide entre Eddie Brock e o simbionte Venom. Agora, foi a vez de Woody Harrelson fazer o mesmo entre o serial killer Cletus Kasady e o simbionte Carnificina.

O ator, porém, preferia que o diretor Andy Serkis, que também é famoso pelas suas atuações baseadas em CGI e captura de movimentos, fizesse o trabalho.

Andy Serkis, o diretor de Venom: Tempo de Carnificina, deu vida ao Gollum, de O Senhor dos Anéis, bem como ao chimpanzé César, de O Planeta dos Macacos, entre vários outros papéis desse tipo.

Em entrevista ao ComicBook, Harrelson afirmou que teve dificuldade em encontrar a voz certa para o Carnificina, por mais que efeitos e modulações sejam colocados sobre sua atuação.

“Eu continuava ferrando com a voz e pensava comigo mesmo ‘quem vai notar a diferença, se Andy Serkis fizer a voz, ele que é um mestre das vozes? Por que você não faz, Andy?’ E não, ele era insistente para que eu fizesse, mas eu realmente… eu gostei de como saiu. Obviamente, efeitos foram colocados na voz, mas eu realmente gostei de como saiu”, disse.

Sobre o filme

A sequência de Venom chega em 2021 com o título de Venom: Tempo de Carnificina, onde o simbionte de Eddie Brock deve enfrentar seu maior rival, o serial killer Cletus Kasady, que chegou a aparecer em uma cena pós-créditos do primeiro longa.

Além da ameaça do Carnificina, há uma expectativa para que o filme traga um crossover com o Homem-Aranha do Universo Cinematográfico Marvel, vivido por Tom Holland.

Tom Hardy está confirmado para retornar ao papel do repórter Eddie Brock, além de Woody Harrelson como Cletus Kasady, Michelle Williams como Anne Weying e Reid Scott como o Dr. Dan Lewis.

O elenco terá ainda Naomie Harris como a simbionte Shriek. Stephen Graham e Sean Delaney também estarão no filme, em papéis ainda não confirmados.

O longa estreia em 7 de outubro de 2021.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui