Foto: Divulgação

Para enfrentar a maior frente fria do século, anunciada pelo INMET – Instituto Nacional de Meteorologia, a Prefeitura de Ribeirão Preto, através da Secretaria de Assistência Social, preparou uma ação emergencial para acolher o maior número de pessoas em situação de rua entre 28 de julho e 4 de agosto ou enquanto perdurar a baixa temperatura

A Semas iniciou na última segunda-feira, dia 26 de julho, um trabalho de conscientização com as pessoas em situação de rua, através do SEAS – Serviço Especializado em Abordagem Social, explicando a importância de aceitarem o acolhimento e os riscos do frio intenso

Na quarta-feira, 28 de julho, o SEAS recebeu 74 denúncias até meia-noite e 44 pessoas foram encaminhadas para acolhimento no Complexo CETREM e Centro POP. A busca ativa foi realizada na Praça Coração de Maria, Av. Jerônimo Gonçalves e Praça XV de Novembro.

Já durante a madrugada, foram 28 denúncias atendidas pela equipe do próprio CETREM, com um total de 117 acolhidos. Também foi realizada a busca ativa em oito localidades: Av. Brasil, Av. Saudade, Praça XV, em frente aos Correios, Praça Santo Antônio e Av. Bandeirantes.

Na primeira noite de frio intenso, o número total de acolhidos foi de 161 pessoas em situação de rua.

A alimentação noturna no Centro POP, utilizado em caráter emergencial como albergue para esses dias, está sendo realizada em parceria com diversos grupos que fazem o trabalho de distribuição de marmitas pelas ruas da cidade. Ontem, os primeiros responsáveis foram a Resolvi Mudar, Amigos que fazem o bem, Anjos da cidade e Uma boa ação.

A secretária de Assistência Social, Renata Corrêa, avalia positivamente a primeira noite da ação emergencial. “Conseguimos acolher 161 pessoas no total e isso é um número muito positivo, mostra que a conscientização que fizemos nos dias que antecederam a primeira noite da frente fria foi bastante eficaz. Por outro lado, sabemos que podemos acolher muito mais, por isso, vamos continuar com as equipes nas ruas, manter a intensificação da abordagem e garantir que o maior número de pessoas em situação de rua seja acolhido nos nossos equipamentos”.

Deixe uma resposta