Seja por conta do trabalho/estudo remoto ou pela diminuição de renda, muitos brasileiros mudaram de endereço na pandemia.

Segundo um estudo do QuintoAndar em parceria com a Offerwise, um em cada seis entrevistados se mudou no período. Além de todos os preparativos que envolvem a mudança, os tutores de pets precisam atentar-se à adaptação do melhor amigo à casa nova. Pensando em ajudar os pais e mães de cães com essa transição, José Jorge Sales do GetNinjas, dá dicas de como fazer com que o momento seja menos estressante para todos. 

Visita prévia: 
Quando o novo imóvel for escolhido, é interessante que os tutores levem o pet para conhecer o local. Segundo José, essa visita é importante, pois dessa forma o animal se aventura pelo espaço, conhece os novos cheiros e também demarca território, sem a correria da mudança. Durante as idas, é recomendável que os tutores mostrem o local correto das necessidades fisiológicas, brinquem com o cachorro e deem os petiscos favoritos. “Os tutores devem possibilitar que os animais façam uma associação positiva com a casa e que entendam que um espaço novo não é necessariamente algo ruim”, explica o adestrador. 

Tempo de adaptação: 
Apesar de serem territorialistas, o tempo de adaptação dos cachorros não costuma se alongar muito. “Os cães costumam ter um tempo de adaptação rápido em comparação com os gatos. Os felinos demoram um pouco mais e levam, em média, um mês para se estabelecerem em um espaço novo”, comenta o profissional. Entretanto, durante essa transição, os pets podem desenvolver comportamentos incomuns por conta da ansiedade e estresse, tais como tentar fugir, latir com mais frequência, fazer as necessidades no lugar errado e até destruir coisas. Para lidar com essas situações, é necessário ter paciência e se empenhar na construção de uma rotina acolhedora para o animalzinho. 

Rotina: 
“Os animais de estimação se adequam muito bem com rotinas, e quando você se muda e há uma alteração no dia a dia, consequentemente, eles se sentem frustrados e estressados por estarem em um ambiente desconhecido”, comenta o profissional. Sendo assim, apesar da mudança de casa ser uma grande alteração no cotidiano, é interessante que os tutores busquem minimizar essa quebra. Na prática, os tutores devem, na medida do possível, manter os horários dos passeios e os horários de alimentação do animal. 

Sem estresse: 
Além de evitar que mudanças profundas na rotina do animal aconteçam, os tutores também devem se atentar ao próprio comportamento. A mudança de casa pode ser desgastante e estressante, mas esse nervosismo também pode afetar o comportamento dos pets, tanto durante, quanto depois da mudança. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui