O marqueteiro Duda Mendonça morreu, nesta segunda-feira, 16, em decorrência de um câncer no cérebro. Conhecido por comandar campanhas políticas vitoriosas, o publicitário Duda Mendonça morreu em São Paulo aos 77 anos.

Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês, na região central de São Paulo, desde junho. Ele deixa quatro filhos e a esposa, Aline Mendonça. Desde a internação em São Paulo, a pedido da família, as informações sobre o estado de saúde do publicitário não estão sendo divulgadas. 

Duda ganhou fama em 1992, quando repaginou a imagem de Paulo Maluf (PP) e o levou a uma campanha vitoriosa à Prefeitura de São Paulo. Mas é conhecido principalmente por ter comandado a primeira campanha eleitoral à Presidência da República vencida por Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em 2002, com o slogan “Lulinha, Paz e Amor”

Antes de trabalhar com marketing político, Duda Mendonça chegou a cursar administração na UFBA (Universidade Federal da Bahia). Ele acabou abandonando o curso para trabalhar como corretor de imóveis. Suas ideias para promover as vendas acabaram despertando nele o interesse pela publicidade.

Em 1975 ele finalmente cria a agência DM9 Propaganda, quando passa a atender justamente a imobiliária para a qual havia trabalhado. Ele iniciou no marketing político em 1985 ao cuidar da campanha de Mário Kertész para prefeito de Salvador usando um coração como símbolo. Após receber diversos prêmios nos anos seguintes, Duda aceita Domingos Logullo e Nizan Guanaes, ex-estagiário da agência, com.

Duda teve seu nome envolvido na Operação Lava Jato, sob suspeita de ter recebido R$ 10 milhões para o grupo político do presidente Michel Temer delatado por executivos da Odebrecht. Em 2017, seguindo o caminho de outros dois publicitários do PT, João Santana e Mônica Moura, o marqueteiro assinou um acordo de delação premiada com a Polícia Federal.

Deixe uma resposta