O que Sansão quer agora é voltar a ser feliz

A polícia descobriu que Sansão foi vítima de um homem que já maltratava outros animais

0

Força Sansão! Vitima de crueldade, há cerca de 10 dias, na cidade de Confins – Minas Gerais, o pitbull que teve as patas decepadas por um homem, flagrado no último final de semana por maltratar outros animais, quer voltar agora a ser feliz.Sansão vem se recuperando com mediação e com as patas enfaixadas, mas ainda assim, demonstra ânimo e vontade de viver. O caso comoveu a sociedade e Sansão ganhou uma cadeira de rodas para recomeçar e tentar se adaptar a nova realidade.O caso, viralizou nas redes sociais, desde que o fato aconteceu, no último dia 06 de julho, e gerou revolta nos internautas, após a confirmação de que o funcionário da transportadora onde Sansão acabou indo parar, agrediu brutalmente o animal. Sansão, pulou o muro da fábrica de ensacados em que tomava conta e acabou nas mãos de Júlio César de Souza, de 44 anos, suspeito de ter arrancado as duas patas traseiras do cão a facão, na transportadora em que trabalhava com a ajuda de outra pessoa.Souza negou as acusações à imprensa e em relação a mutilação alegou estar arrependido; porém, no último final de semana a Policia Militar juntamente com um parlamentar, que defende a causa animal resgatou dez cães na casa do suspeito, em Confins – MG, onde encontraram animais expostos ao sol, com calor e sede e em situação de maus – tratos. Segundo o site de noticias: https://jmonline.com.br/novo/?noticias,5,POL%C3%8DCIA,198788, o agressor será autuado pela Secretaria de Meio Ambiente em relação a esses animais. A multa é R$ 900 por animal. Um deles que veio a óbito por maus-tratos de calor e falta de água a multa é de R$ 3.000. 

Perda do Emprego – O suspeito foi demitido da empresa que não compactuou de tamanha atrocidade divulgando uma nota de repúdio em relação à atitude do homem. Leia na íntegra:”A Empresa TRC ZAPPELLINI, vem publicamente, após conhecimento dos fatos expressar toda indignação, tristeza e solidariedade diante dos atos de extrema crueldade, ocorridos no último dia 06 de julho de 2020 que vitimou o Cão da Raça Pit-Bull “Sansão”.
Esperamos que toda forma cruel de tratamento aos animais seja combatida e punida, tais condutas além de moralmente condenáveis, são legalmente vedadas, classificamos como absurdos e inaceitáveis os atos praticados com tamanha covardia.
A Crueldade das ações, confirmadas pelas autoridades competentes são inadmissíveis, consequência da fatídica e inexorável crueldade humana, impossível de ser compreendida. Lamentamos profundamente, não somos e jamais seremos coniventes com quaisquer praticas cruéis.Esclarecemos que todas as providências necessárias e legais já estão sendo tomadas pela empresa, em relação aos fatos e a conduta praticada.
Por fim, que sejam responsabilizados os envolvidos pela terrível crueldade apontada e que com a conclusão das investigações, finalmente se ouça a voz da Justiça.
Parabenizamos, a rápida e necessária atuação dos ativistas, dos órgãos de defesa e proteção animal, pois são verdadeiros fiscalizadores e defensores que de forma assertiva, defendem seres indefesos, assegurando assim a punição aos agressores.


Firmamos ainda o nosso compromisso em fortalecer campanhas que já são desenvolvidas de conscientização sobre maus tratos e outros temas ligados a proteção dos animais, bem como coibir e aplicar todas as medidas legais dentro de nossas atribuições e competências.
Os animais são nossos fieis companheiros, merecem nossa defesa e proteção, respeitá-los e protege-los é um dever de todos.”

As opiniões se dividiram na Internet. Alguns internautas disseram que nada justifica a amputação das patas do animal, mas que o dono também deveria ter dado mais atenção ao comportamento dessa raça não deixando brechas para que o animal fugisse. Para Carla Zaváglia, leitora do Centro de Notícias o fato chocou o país. “ Eu li a noticia a noite e não consegui mais dormir pensando no Sansão. Eu acho que não há nada nesse mundo que justifique que alguém faça isso com um animal. Isso é um demônio, não é uma pessoa. Mas eu acredito em Deus, na lei do retorno e sei que ele vai pagar pelo que fez”, disse.

Para o psicólogo Marco Aurélio Arduca, a  tamanha atrocidade está ligada diretamente  a agressividade. ” Ele teve uma reação que é reflexo da própria agressividade sem controle,  respondendo com violência de maneira exacerbada. Essa violência está diretamente ligada ao interior dele, mecanismo de total descontrole “, sinalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui