Segundo a coordenadora e professora do curso de Enfermagem da Anhanguera, Sônia Mariza, baixas tão severas na umidade do ar causam uma série de efeitos na saúde humana, levando o organismo a se sobrecarregar, trazendo a inevitável sensação de cansaço. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a umidade do ar ideal compreende a faixa entre 50 e 80%. 

“Em condições climáticas como essas, os serviços de saúde registram aumento substancial de pessoas buscando atendimento, principalmente decorrente de alergias. Com o tempo seco, nossas mucosas podem ressecar e inflamar. E como consequência do ressecamento, as barreiras físicas que elas representam acabam propiciando a entrada de microrganismos que podem ser prejudiciais à saúde”, explica a professora. 

Para melhorar a sensação de cansaço e desconforto, Sônia recomenda algumas medidas que podem ser utilizadas para melhorar nossa saúde e qualidade de vida nesse momento: 

• Ingerir bastante água, de dois a três litros por dia, importantíssimo para se manter hidratado; 

• Espalhar panos ou baldes com água em ambientes da casa, principalmente no quarto, ao dormir ou utilizar umidificadores de ar; 

• Lavar nariz e olhos com soro fisiológico, algumas vezes ao dia; 

• Trocar comidas com muito sal ou condimentos por alimentos mais saudáveis; 

• Usar creme hidratante na pele e creme sem enxágue em cabelos não-oleosos; 

• Evitar exercícios físicos entre 10h e 17h; 

• Evitar grandes aglomerações; 

• Evitar carpetes ou cortinas que acumulem poeira; 

• Evitar roupas e cobertores de lã ou com pelos; 

• Evitar exposição prolongada a ambientes com ar-condicionado; 

• Manter a casa higienizada, arejada e ensolarada. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui