Exposição inédita, com mais de 300 itens de missões da NASA jamais exibidos na América Latina, chega ao Brasil em 26 de agosto.

“Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”

Cunhada por Neil Armstrong, primeiro homem na história a pisar na Lua, a frase resume o que é e o que será lembrado sempre como uma das maiores aventuras da humanidade – a busca de novas fronteiras no espaço sideral.

Para celebrar essa grande aventura, a exposição SPACE ADVENTURE aterrissará pela primeira vez na América Latina e no Brasil em 26 de agosto de 2021, em São Paulo. Programada para ser lançada no país em 2020, como um evento comemorativo das cinco décadas da chegada do homem à Lua, a exposição teve que ser adiada por causa da pandemia e desembarca agora no país ainda mais completa.

Reunidos pelo Museu e Centro de Educação Espacial COSMOSPHERE de Hutchinson, Kansas, os mais de 300 itens originais da agência espacial norte-americana permitirão ao visitante vivenciar uma experiência única, como poder conferir de perto a mesa de controle de Houston e o relógio de contagem regressiva da decolagem dos foguetes, os trajes espaciais e computadores de bordo da Cápsula Apollo, a coleção completa das câmeras de fotografia e cinema utilizadas para capturar as famosas imagens da Lua, o cardápio completo dos alimentos do projeto Apollo, além de uma amostra de pedra lunar e muitos outros itens históricos.

A exposição irá exibir, pela primeira na América Latina, uma das maiores coleções de artefatos originais da NASA, referentes aos Projetos MERCURY, GEMINI e APOLLO, responsáveis pela ida do Homem à Lua.

Espace Adventure

Um espaço climatizado de 2.500m² será especialmente criado para receber a mostra inédita, que apresentará, entre outras relíquias, réplicas em tamanho real da cápsula APOLO 11, do Modulo lunar que pousou na lua, o “ROVING“, veículo de quatro rodas conhecido popularmente como “Buggy lunar”, além de réplicas reduzidas do foguete Saturno 5 e das naves TITAN e JUNO.

Entre as muitas peças exibidas estarão raridades como a mesa de controle de Houston e o relógio de contagem regressiva que acompanhou as viagens do homem ao espaço e à Lua. Trajes espaciais que são verdadeiras mininaves espaciais serão exibidos inteiros e em peças separadas, como capacetes, luvas e botas. O público também vai conhecer os alimentos que podiam ser armazenados por décadas e os itens desenvolvidos para cuidar da higiene pessoal dos astronautas,

Toda a parte de tecnologia das primeiras missões espaciais também está contemplada na exposição, que traz para o público motores, os primeiros computadores usados na década de 60, ferramentas, caixas de coleta do material lunar, os painéis de controle das naves, os rádios usados para a comunicação entre as naves e a terra e os aparelhos que filtravam o ar dentro dos pequenos módulos. E se tudo isso foi importante para garantir a viagem e a vida dos tripulantes, não podemos esquecer de câmeras e filmadoras que mostraram para o resto do mundo o que só os astronautas viram de perto: a Terra é azul!

Unindo entretenimento e educação, a exposição conta ainda com uma grande gama de imagens e filmes que documentaram as operações ao longo da história. Times de especialistas brasileiros da USP e do ITA criaram o conteúdo informativo para os visitantes, que também contarão com monitores treinados e especializados, tour guiado e palestras programadas sobre o assunto.

Comandante do Módulo Lunar Orion, da missão Apollo XVI, um dos 12 homens a pisar em solo lunar

Enquanto o passado e o futuro da ciência espacial serão explorados por diversas gerações de brasileiros nas exposições, a missão se completará assim que o lendário astronauta Charles Duke chegar ao Brasil para a inauguração da SPACE ADVENTURE. Duke, um dos três homens ainda vivos que pisaram na Lua e, com certeza, o que tem mais histórias para contar, irá participar de palestras e entrevistas para compartilhar suas experiências extraordinárias.

Em 1969, Duke foi o CAPCOM (o profissional da NASA que se comunica em tempo real com os astronautas no espaço durante as missões) da missão Apollo 11 em Houston e suas primeiras palavras a Neil Armstrong e Buzz Aldrin, assim que eles avisaram que pousaram na Lua (“Houston, aqui Base da Tranquilidade. A Águia pousou.”) ficaram famosas no mundo inteiro, através da transmissão de TV:

Entendido, Base da Tranquilidade, recebemos sua mensagem do solo. Vocês fizeram um monte de caras ficarem azuis por aqui. Já podemos respirar de novo. Muito obrigado“.

Em 1971, Duke tornou-se o décimo homem a pisar na Lua como piloto do Módulo Lunar Orion, na missão Apollo XVI, junto com o astronauta John Young, na quinta missão tripulada do Programa Apollo, que pousou na montanhosa região lunar de Descartes. O Orion passou 71 horas pousado na Lua e Duke ficou 20 horas sobre a superfície, coletando quase 100 kgs de rochas e realizando diversas experiências científicas, na área mais geograficamente acidentada da Lua.

Deixe uma resposta