Foto: Mike Segar/via Agência Brasil

Influenciado pela recuperação do emprego nos Estados Unidos, o dólar subiu nesta sexta-feira (6) e fechou no maior valor em duas semanas. A bolsa de valores recuperou-se das quedas recentes e teve o primeiro ganho semanal acumulado após duas semanas de queda.

O dólar comercial fechou o dia vendido a R$ 5,236, com valorização de R$ 0,021 (0,4%). No início das negociações, chegou a R$ 5,27, depois da divulgação de dados do mercado de trabalho norte-americano. A cotação desacelerou ao longo do dia, mas fechou em alta

A moeda americana está no nível mais alto desde 19 de julho, quando estava em R$ 5,251. A divisa acumula valorização de 0,51% na semana. No acumulado de 2021, a alta chega a 0,91%.

No mercado de ações, o otimismo foi maior. Depois de dois dias de baixa, o índice Ibovespa, da B3, fechou aos 122.810 pontos, com alta de 0,97%. O índice foi embalado pelas ações de instituições financeiras, que divulgaram os lucros do segundo trimestre nesta semana, e pela valorização do ferro no mercado internacional, que impulsionou ações de mineradoras.

O Ibovespa encerrou a semana com alta acumulada de 0,83%. Nas duas últimas semanas, o índice, que estava em torno dos 125 mil pontos, tinha caído.

A divulgação de que a economia dos Estados Unidos criou 943 mil vagas fora do setor agrícola em julho fez o dólar subir em todo o planeta. O resultado veio superior ao do mês anterior e voltou a estimular as expectativas de que o Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano) antecipe a retirada dos estímulos monetários – juros baixos e compra de títulos – concedidos durante a pandemia de covid-19.

Juros mais altos em países avançados estimulam a fuga de capitais de países emergentes, como o Brasil. No mercado doméstico, as tensões políticas e as dúvidas sobre um fundo que financiaria o novo Bolsa Família com despesas fora do teto de gastos também influenciaram as negociações.

Deixe uma resposta