Astrônomos descobriram sinais incomuns vindos da direção do centro da Via Láctea.

O sinal de energia é diferente de qualquer fenômeno estudado antes.

As ondas de rádio não se enquadram em nenhum padrão atualmente conhecido de fonte de rádio variável e podem sugerir uma nova classe de objeto estelar de acordo com um novo estudo publicado no Jornal de Astrofísica da Escola de Física da Universidade de Sydney.

Chamou a atenção do principal autor do novo estudo, Ziteng Wang, estudante de doutorado da Escola de Física da Universidade de Sydney, o brilho do objeto, que varia dramaticamente em uma sequência de acende e apaga sem uma lógica específica.

“A propriedade mais estranha desse novo sinal é que ele tem uma polarização muito alta. Isso significa que sua luz oscila em apenas uma direção, mas essa direção gira com o tempo,” disse Ziteng Wang, da Universidade de Sydney, na Austrália.

“O brilho do objeto também varia dramaticamente, por um fator de 100, e o sinal liga e desliga aparentemente ao acaso. Nunca vimos nada parecido,” acrescentou.

A equipe inicialmente pensou que poderia ser um pulsar – um tipo muito denso de estrela de nêutrons (morta) que gira rapidamente.

Muitos tipos de estrelas emitem luz variável em todo o espectro eletromagnético, mas o novo objeto, batizado de ASKAP J173608.2-321635, não combina com nada conhecido. 

Contando com o auxílio de outras equipes de vários países, os astrônomos australianos partiram então para tentar ver o objeto, em luz visível e diversos outros comprimentos de onda.

Eles não encontraram nada – o ASKAP J173608.2-321635 parece só gostar de produzir ondas de rádio.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui