Neste domingo, 19 de setembro, o pernambucano Paulo Freire, educador, filósofo, escritor e também patrono da educação brasileira, referência no país e no mundo, completaria 100 anos de idade. Natural de Recife, Paulo Reglus Neves Freire revolucionou o pensamento sobre a educação no século XX. Premiado e reconhecido internacionalmente, Paulo Freire dedicou-se aos desafios de democratizar o ensino, tendo como visão de campo a construção de uma sociedade democrática, impulsionada por um diálogo crítico, a fala e a convivência. 

Para João Guilherme Porto, Diretor da Faculdade Arnaldo, Paulo Freire revelou ao mundo uma educação para além da sala de aula e da educação formal. “Atualmente muito se fala das metodologias ativas, mas este conceito já era algo há muito defendido pelo Paulo Freire.

A ideia do diálogo entre professor e aluno, procurando transformar o estudante em um aprendiz ativo, em estar o estudante no centro da relação de aprendizagem é, no meu ponto de vista, o maior legado dele, pois trouxe e ainda traz a desmistificação do “dito mestre” e o caráter recíproco da relação de ensino, sem o qual não acredito que haja aprendizado e sim mero treinamento”, analisa. 

Segundo o Professor de Filosofia e Ensino Religioso do Colégio Nossa Senhora das Dores, em Belo Horizonte, Gregory Rial acredita que o educador operou uma mudança de paradigma no pensamento pedagógico. “Até então, a pedagogia tradicional lidava com o aluno como uma espécie de depositário de informações, e o Paulo Freire demonstrou que o aluno, na verdade, é o protagonista, ele não é só um destinatário, ele é o grande construtor do conhecimento”, afirma o especialista que ainda pontua: “Um outro impacto dentro da pedagogia, que está muito relacionado com o primeiro, foi colocar o estudante com aquilo que ele sabe para ser o ponto de partida do processo pedagógico”. 

Chão da vida do estudante 

Paulo Freire deixou uma imensa contribuição para a área da educação, com expressivas reflexões que impactaram na filosofia, na matemática, na história, nas artes, na literatura, entre outras áreas do conhecimento. “É imprescindível compreender que esse é um legado de suma importância para a formação de educadores e de todos os envolvidos no processo de ensino aprendizagem. Isso porque a humanização dessa relação é fundamental para que exista educação no mais amplo sentido dessa palavra”, ressalta Porto. 

Rial pontua que o os escritos e pensamentos de Paulo Freire também inspira vocacionalmente os professores para assumir a posição de educadores. “Eu penso que este legado está relacionado também a uma postura muito séria que o Paulo Freire inspira nos professores de que eles precisam se aprofundar, eles precisam conhecer, eles precisam estudar, mas eles também precisam agir. O bom profissional da educação é aquele que não separa a teoria da prática, mas que une, e isso fica muito evidente em seus textos, que é uma forma muito acessível e ao mesmo tempo muito bem fundamentada”, conclui. 

Deixe uma resposta