O anúncio dos repasses foi feito pelo governador João Doria, durante coletiva de imprensa, realizada no Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo paulista. Foto: Marcos Santos/USP Imagens

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou o repasse de R$ 1 bilhão em crédito suplementar para a USP, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp) e Universidade de Campinas (Unicamp) até o final deste ano. A divulgação foi feita em coletiva de imprensa realizada no Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo paulista, no dia 20 de outubro.

Desse montante, a USP receberá R$ 525,6 milhões, que serão investidos em obras e reformas na infraestrutura física e tecnológica, construção de novos laboratórios, biotérios, salas de aula, apoio à permanência estudantil e compra de equipamentos.

A Unesp receberá R$ 245 milhões e, a Unicamp, R$ 229,4 milhões, conforme os critérios determinados na distribuição de 9,57% da arrecadação do ICMS do Estado – 5,02% para a USP, 2,34% para a Unesp e 2,19% para a Unicamp.

De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, o reajuste no orçamento de 2022 será dividido da seguinte forma: a USP terá aumento de 24%, recebendo cerca de R$ 7,6 bilhões; a Unesp receberá R$ 3,8 bilhões, um acréscimo de 22% em relação a 2021; a Unicamp ficará com 17% a mais, totalizando R$ 3,7 bilhões; e a Fapesp terá reajuste de 15% sobre o atual orçamento, recebendo R$ 1,85 bilhão.

“É um orçamento robusto e o maior de toda a história. Em um momento triste do Brasil, em que o obscurantismo custou milhares de vidas que se foram com a covid-19, São Paulo reafirma a confiança e a crença na ciência, com um investimento tão expressivo, e a convicção que o conhecimento é a melhor vacina contra a ignorância”, afirmou o governador.

Para o reitor da USP, Vahan Agopyan, “esses recursos chegam em um momento muito importante. As três universidades estaduais paulistas estão aumentando as atividades presenciais em nossos campi e, com esses recursos, que já estão liberados, estamos conseguindo melhorar a segurança para nossos servidores, alunos e docentes poderem retornar com mais tranquilidade”.

“Para a Fapesp, neste momento que temos restrições na esfera federal, esse repasse é a garantia que a USP, a Unesp e a Unicamp, que são universidades de pesquisa e representam uma porcentagem muito importante do desenvolvimento científico feito no país, vão poder manter suas atividades”, considerou o reitor.

Fonte: Jornal da USP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui