Após mais de cinco anos, a Justiça francesa finalmente resolveu o polêmico caso Valbuena. O atacante Benzema, ex-companheiro do jogador na seleção da França, foi considerado culpado do crime por cumplicidade na chantagem ao também jogador Mathieu Valbuena com um vídeo íntimo. Segundo a sentença, o atleta do Real Madrid foi condenado a um ano de prisão suspensa, que só deve ser cumprida em caso de reincidência, e multado em 75 mil euros.

O escândalo, que ficou conhecido como “sex tape”, aconteceu no ano de 2015 e trouxe muitas consequências negativas para Benzema. O atacante foi excluído da seleção pelo técnico Didier Deschamps, tendo perdido a Eurocopa de 2016 e a Copa do Mundo de 2018, vencida pela França.

De acordo com o tribunal de Versalhes, Benzema teve uma “intervenção deliberada” no caso através de uma conversa com Valbuena na concentração da seleção francesa, em outubro de 2010. Na época, o atleta tentou convencer o meia, seu amigo, de que deveria negociar com os homens que o chantageavam para não divulgarem um suposto vídeo íntimo. Logo após o papo, foi constatado que o atacante tinha relação com um dos chantagistas.

O tribunal deu ainda uma sentença de prisão de dois anos e seis meses a Mustapha Zouaoui, dizendo que ele foi o mentor do complô Axel Angot, que primeiro pegou a fita de sexo em 2014, foi condenado a dois anos de prisão. Outro dos chantagistas condenados, Younes Houass, recebeu uma sentença de prisão suspensa de 18 meses e o amigo de longa data de Benzema, Karim Zenati, foi preso por 15 meses.

Após a sentença, os advogados do atacante, ausente no julgamento por compromissos profissionais (defende o Real Madrid diante do Sheriff na Liga dos Campeões), anunciaram que entrarão com um recurso contra a pena, o que deixará a aplicação da mesma em suspenso. O advogado Antoine Vey criticou a punição. “Este resultado em nada corresponde à realidade dos eventos”, disparou “Benzema virá se explicar perante o tribunal de apelação”, continuou. “Ele se ausentou do julgamento por motivos profissionais e o fato de estar ausente influenciou no julgamento. Esta convicção é infundada.”

Já o advogado de Valbuena, Didier Domat, disse que a decisão foi um alívio para seu cliente. Ao contrário de seu ex-companheiro de equipe, Valbuena não joga pela França desde que o escândalo estourou. “Ele sofreu preconceitos esportivos difíceis de consertar”, disse Domat. “Estamos satisfeitos que seu status de vítima foi reconhecido.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui