QUEBRA MUNDIAL DE RECORDES
Enquanto diversas nações ainda sofrem com a questão da saúde pública, desemprego e danos econômicos decorrentes da pandemia, os Estados Unidos já apresentam um mercado de trabalho novamente superaquecido e com uma vacinação em massa muito bem sucedida, e todos os indícios apontam que a busca pelo green card irá se intensificar ainda mais e superar todos os recordes históricos ainda em 2021. 
“A pandemia ajudou a evidenciar ainda mais o fato de que os EUA são a melhor opção para quem não encontra mais oportunidades ou segurança em seus países de origem. E a chegada desses imigrantes também beneficia a América, pois muitos deles irão contribuir com o desenvolvimento da própria economia americana” – ressaltou Dr. Felipe Alexandre, advogado brasileiro/americano de imigração. 

De fato, a América é o destino favorito de 9 a cada 10 estrangeiros que decidem começar uma nova vida no exterior. Os EUA emitem em média 300 mil novos green cards por ano, e estes números irão se intensificar nos próximos meses. Isso porque somando-se apenas os 3 primeiros meses de 2021, já foram computados mais de 110 mil novos pedidos para o documento de residência americano, um número nunca antes registrado em um primeiro trimestre no país. No ritmo atual, 2021 tem tudo para quebrar o recorde atual de green cards emitidos em um mesmo ano, que ainda pertence a 2011, quando 390 mil novas permissões de moradia foram aprovadas. Estima-se que existem atualmente quase 14 milhões de portadores de green card morando legalmente na América. 

OS EUA PRECISAM DE IMIGRANTES QUALIFICADOS
A escolha de Joe Biden para ocupar o cargo político mais importante do mundo também tem ajudado a projetar a imagem de que os EUA, historicamente um país formado por imigrantes, estão novamente de braços abertos para estrangeiros que queiram morar e trabalhar legalmente no país.  “Apesar de problemas pontuais, como a crise humanitária na fronteira com o México, existe hoje um grande otimismo em relação ao futuro da imigração nos EUA. Em seus primeiros 100 dias de governo, Biden já assinou dezenas de decretos beneficiando pessoas em pedidos de asilo, refúgio e outras situações humanitárias, isso sem contar a proposta que aguarda votação no Congresso, para legalizar cerca de 11 milhões de pessoas atualmente indocumentadas na América” – acrescentou Felipe Alexandre, que também é fundador da AG Immigration, empresa especializada em vistos de imigrantes para os EUA.

Mas Biden também está mirando em imigrantes qualificados por suas carreiras de sucesso e formação acadêmica avançada, e para isso conseguiu aumentar a cota anual de vistos de imigrantes para estrangeiros que possuem as chamadas “habilidades extraordinárias”, e que pretendem investir e contribuir com o mercado de trabalho americano. 260 mil vistos americanos para estas categorias estão disponíveis em 2021, quase o dobro de 2020, quando 140 mil vistos de imigrantes foram disponibilizados. Sem dúvidas, um grande “chamariz” para a chegada de novos imigrantes capacitados ao país. 

ÊXODO DE BRASILEIROS COMO NUNCA ANTES VISTO NA HISTÓRIA
No Brasil, um dos países mais afetados pela pandemia, cresceu ainda mais a insegurança e a instabilidade econômica e política, o que tem levado muitos profissionais e empresários brasileiros encontram nos Estados Unidos a possibilidade de viver em um país que oferece mais segurança, qualidade de vida, oportunidade de gerar receita em moeda forte e de fazer parte ou empreender no maior mercado consumidor do mundo.  

O principal sinal do êxodo de brasileiros para os EUA são as impressionantes estatísticas da década anterior (2011 a 2020), em que 132.368 brasileiros já foram agraciados com um green card durante esta década. Este número impressiona mais ainda se comparado com as décadas anteriores: 91.293 nos anos 2000 e 95.118 nos anos 90.   

E tudo indica que nesta nova década os números seguirão batendo recordes. Até o dia 30 de abril de 2021, já haviam sido registrados 3.611 novos pedidos de green cards para cidadãos brasileiros. No mesmo período de 2020, foram computadas 2.809 solicitações do mesmo tipo. É importante salientar que a aprovação de um processo de imigração (green card) geralmente acontece dentro de 8 a 12 meses após a data de entrada.

Portanto estes números parciais de 2021 mostram a quantidade de novas solicitações feitas por brasileiros até aqui, e não de aprovações destes processos, o que só poderá ser determinada futuramente. Ainda de acordo com as estatísticas do governo americano em relação ao Brasil, 2019 registrou recorde de green cards aprovados em um mesmo ano para brasileiros, com 19.825 documentos emitidos, um número 30,2% maior do que o recorde anterior registrado em 2006, quando 17.903 cidadãos nascidos no Brasil conseguiram o direito a residência permanente nos EUA.  

Entre os profissionais brasileiros que mais tem conseguido aprovações para o green card estão aqueles que exercem atividades que atualmente estão em falta nos EUA, como médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, dentistas, engenheiros, profissionais de TI, pilotos de avião e uma série de outras profissões. Em comum a todos eles, o fato de atuarem em áreas onde se exige grande conhecimento técnico e qualificações profissionais e acadêmicas.

“É importante observar que na década passada (2011 a 2020) também ocorreu uma grande mudança no perfil do imigrante brasileiro na América. Se antes, especialmente nos anos 80 e 90, havia uma tendência para a imigração ilegal, muitas vezes para exercer subempregos, atualmente o cenário é completamente oposto, com a maioria dos imigrantes brasileiros qualificando-se para o green card com base em suas carreiras de sucesso no Brasil. E existem vários motivos que explicam este novo perfil do brasileiro na América, incluindo a globalização, popularização da internet, melhoria da economia mundial e um maior conhecimento sobre as muitas possibilidades de se se obter um green card”: – explicou Felipe Alexandre. 

De acordo com dados do Itamaraty, aproximadamente 1 milhão e 400 mil brasileiros residem atualmente nos Estados Unidos. Entretanto, apesar dos números elevados, os brasileiros ainda estão em décimo-primeiro lugar na lista de estrangeiros que vivem nos EUA. As nacionalidades com maior representação estrangeira na América continuam sendo chinesas, indianos e mexicanos.

Deixe uma resposta