Guru político de Donald Trump e próximo da família Bolsonaro, o estrategista Steve Bannon deve ser acusado nesta terça-feira (19) de desacato criminal pelo comitê da Câmara dos Representantes que investiga o trágico ataque ao Capitólio dos Estados Unidos, no dia 6 de janeiro, por simpatizantes do ex-presidente americano. 

Embora intimado a depor, Bannon desafiou a comissão e não compareceu à audiência marcada para quinta-feira (14).

Em mais uma demonstração de lealdade a Trump alegou estar protegido por privilégios executivos, apesar de não integrar o corpo de funcionários da Casa Branca.

Por meio de seu advogado, Trump teria instruído quatro ex-assessores a não testemunhar ao Congresso.

Em uma carta ao comitê no início deste mês, o advogado de Bannon argumentou que “os privilégios executivos pertencem ao Presidente Trump” e “devemos aceitar sua direção e honrar sua invocação de privilégio executivo”.

A carta da equipe jurídica de Bannon prossegue dizendo que pode caber aos tribunais decidir se ele será forçado a cooperar, essencialmente desafiando a Câmara a processá-lo ou prendê-lo preventivamente.

“A razão pela qual pessoas como essas, como Steve Bannon, que falaram abertamente contra o Congresso, continuam a achar que podem escapar ilesos de seus atos é porque, por quatro anos, eles puderam”, afirmou o deputado Adam Schiff.

Schiff, que também preside o Comitê de Inteligência da Câmara, observou que Bannon havia se recusado a cooperar com a investigação sobre a Rússia durante o governo Trump porque ele “nunca seria detido por desrespeito”.

“Ele nunca seria processado pelo Departamento de Justiça sob Trump. Mas esses dias acabaram. E eu vejo isso não apenas como essencial para nossa investigação, mas também como um teste antecipado para saber se nossa democracia está se recuperando”, acrescentou o parlamentar democrata da Califórnia.

Depois da votação do comitê, a acusação vai ao plenário da Câmara, de maioria democrata, e deve ser ratificada. Se for considerado culpado por desacato ao Congresso, Bannon pode ser obrigado a pagar multa e a enfrentar 12 meses de prisão. O processo é encaminhado ao Departamento de Justiça, mas leva anos para ser concluído.

Bannon é considerado o mentor da retórica incendiária do ex-presidente americano. Dirigida a radicais de direita, sua ideologia mescla populismo, autoritarismo, racismo e desinformação, entre outros prejuízos à democracia.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui