A Polícia Civil concluiu que o bebê encontrado em um terreno baldio em Itaboraí, no Rio de Janeiro, nasceu com vida e depois foi morto e amputado. A mãe da criança, Maurilia de Carvalho de Sousa, de 41 anos, está presa por homicídio qualificado.

Policiais encontraram o corpo do bebê sem os membros. A placenta e o cordão umbilical estavam ao lado. Eles passaram a seguir manchas de sangue e encontraram a casa da mãe. Ela ainda estava suja com sangue e lavava a calçada para disfarçar o crime.

Agora a Polícia concluiu que o bebê, apesar de prematuro, nasceu com vida e foi morto por estrangulação. Os membros foram arrancados por um “instrumento perfurocortante”.  A perícia apontou ainda que a criança, que estava aproximadamente no sexto mês de gestação, foi morta por asfixia mecânica.

Para os investigadores, após matá-lo, Maurilia teria decidido esquartejar o filho prematuro para dificultar que o corpo fosse encontrado. Ao ser presa, ela chegou, em um primeiro momento, a ser levada a uma maternidade para receber os cuidados médicos pertinentes ao pós-parto.

O bebê foi localizado, inicialmente, por agentes do 35º BPM (Itaboraí), ainda no início da manhã de terça-feira. Eles se dirigiram ao local depois que moradores acionaram o 190 informando a presença do cadáver de um bebê sem membros na região.


Deixe uma resposta