A jovem Ana Carolina Pereira Pinto, de 20 anos e que morreu após usar uma medicação para abortar aos sete meses de gravidez, teve ajuda do namorado para comprar o chamado “kit aborto” pela internet, segundo o boletim de ocorrência.

Kevin Willians, 22 anos, namorado de Ana Carolina Pereira Pinto, 20, contou em interrogatório à Polícia Civil, em Votorantim, no interior de São Paulo, como a estudante de Engenharia de Produção relatou se sentir após aplicar injeções de um “kit aborto“.

O jovem disse aos policiais que comprou o medicamento pela internet depois que a namorada e ele tomaram a decisão de interromper a gravidez. Ele também informou que, durante o procedimento, os dois tiveram a orientação de uma “técnica” através do WhatsApp a respeito do que deveriam fazer.

Kevin explicou que no dia seguinte ao uso da substância abortiva, a jovem sentiu dores e queria pedir ajuda aos pais, mas o companheiro pediu que ela ficasse calma e não contasse nada. “Minha barriga parece que vai explodir”, disse a estudante. No interrogatório, Kevin alegou que estava nervoso quando a namorada cogitou solicitar auxílio.

De acordo com o boletim de ocorrência, a família contou à polícia que estranhou quando o alarme da jovem começou a tocar e ela não o desligou nesta terça-feira (26). Por isso, os pais resolveram entrar no quarto e a encontraram morta. O bebê também não resistiu e morreu.

Após audiência de custódia, o homem acabou solto e vai responder em liberdade por aborto provocado por terceiro com o consentimento da gestante. O Código Penal fixa pena de um a quatro anos de prisão pelo crime.

Ana Carolina foi enterrada na tarde desta quarta-feira (27/10), no Ossel Votorantim. Em uma publicação no Facebook, a mãe da jovem, Camila Marques, fez uma declaração à filha. “Amarei você para todo o sempre”, escreveu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui