A passagem do filósofo Olavo de Carvalho no Brasil foi encerrada às pressas neste fim de semana.

A volta repentina para a Virgínia, estado onde mora nos Estados Unidos, foi feita após a Polícia Federal intimar o guru para um depoimento no inquérito que apura a existência de uma milícia digital voltada a desacreditar a democracia e as instituições.

A PF intimou Olavo no último dia 9, sua defesa informou à corporação que o guru estava impossibilitado por ainda estar debilitado e em tratamento de saúde.

Olavo veio ao Brasil no início de julho para dar continuidade aos cuidados iniciados nos EUA, onde mora​.

Dias depois da intimação, entretanto, ele deixou o Brasil e na terça (16) gravou um vídeo de sua casa nos EUA em que informou ter retornado “de forma repentina”.

“Eu estava no hospital e me ofereceram um voo repentino para dali a 15 minutos. Eu não ia perder essa oportunidade”, disse em vídeo gravado já nos EUA.

No vídeo, Olavo diz que a “coisa foi tão rápida” que não foi possível se despedir dos médicos e enfermeiros do hospital em que estava internado.

“O pessoal chama de saída à francesa”, disse.

Na versão do guru bolsonarista, a saída do pais “não foi escondida de ninguém”, mas, sim, porque disseram a ele que “ou embarca agora ou não vai ter outro voo”.

Essa foi a segunda tentativa da PF em ouvir o escritor. Em agosto ele foi intimado e sua defesa também se valeu do argumento do tratamento médica para evitar o depoimento.

A vinda ao Brasil seria para dar continuidade ao tratamento médico. Olavo lida há alguns anos com consequências da doença de Lyme, popularmente conhecida como “doença do carrapato”, que pode causar irritação na pele, dores nas articulações e fraqueza nos membros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui