O policial Silvio Pereira dos Santos Neto, 29, foi preso em flagrante após matar um jovem negro em um bar na região da Vila Medeiros zona norte de São Paulo após uma discussão por conta do desaparecimento do celular do PM.

Tudo começou quando o policial acusou vítima, Clayton Abel de Lima, 20, de ter furtado o aparelho.

Segundo o boletim de ocorrência, a PM foi acionada para atender uma ocorrência de disparo de arma de fogo. Ao chegar no local, a polícia encontrou Silvio muito agitado e embriagado.

Aos colegas de trabalho, Silvio relatou que teria sofrido uma tentativa de roubo e só reagiu contra o suspeito. No entanto, após perícia do local, o aparelho celular foi encontrado dentro do carro do policial.

O dono do estabelecimento deu depoimento dando mais detalhes do ocorrido, que segundo ele, Neto e Clayton chegaram juntos ao estabelecimento por volta das 3h embriagados. A dupla pediu para passar o cartão de Neto e foram para os fundos do bar, neste momento o PM questionou Clayton sobre o celular, o mesmo não conseguiu responder. Em seguida o PM foi até o dono do estabelecimento e perguntou sobre o aparelho, que também não soube responder. Silvio voltou aos fundos do estabelecimento e efetuou o disparo.

O dono do bar correu em direção a dupla e retirou a arma da mão do PM. Neto ainda tentou se identificar com a carteira funcional mas o proprietário do bar não devolveu a arma.

As testemunhas no estabelecimento chamaram a polícia e o resgate.

De acordo com a perícia da polícia civil, Clayton estava portando somente seu documento de identidade e cartão bancário. A vítima foi atingida por uma bala no tórax.

Após o crime, o policial foi encaminhado para delegacia e preferiu não se pronunciar. Neto foi indiciado por homicídio doloso, ou seja, quando há intenção de matar.

Deixe uma resposta