Salles entrega o celular à PF três semanas depois e diz querer ‘colaborar com as investigações’

Ministro do Meio Ambiente enfim apresentou o aparelho aos investigadores depois de ter sido alvo de busca e apreensão

Imagem: Roque de Sá/Agência Senado

Nesta segunda-feira, o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles entregou seu celular à Polícia Federal em Brasília. Na Operação Akuanduba, deflagrada há três semanas, o ministro não entregou o aparelho aos investigadores. Agora, Salles está sob pressão de duas investigações no Supremo Tribunal Federal.

Apesar da demora em ceder o aparelho, ao entrega-lo, a defesa do ministro informou à PF que ele está à disposição para “colaborar com as investigações”. Os advogados de Ricardo Salles enviaram uma petição ao ministro do STF Alexandre de Moraes informando sobre a entrega do celular.

Salles é investigado sob suspeita de facilitar a exportação ilegal de madeira do Brasil para os Estados Unidos e Europa. Em um outro caso, sob relatoria da ministra Cármen Lúcia, ele é suspeito de atuar para obstruir as investigações da PF contra o desmatamento ilegal na Amazônia.

Na semana passada, uma advogada chegou a pedir ao ministro Alexandre de Moraes o afastamento de Salles do cargo. Moraes enviou o processo para a Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifestar a respeito. Um dos argumentos apresentados por ela foi obstrução das investigações, justamente pela ausência de apreensão do celular. Na ocasião da operação Akuanduba, há três semanas, o ministro alegou não estar com o aparelho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui