Um homem preto foi imobilizado e agredido por dois seguranças do Metrô de São Paulo nesta quarta-feira (20).

O homem é vendedor ambulante e estava trabalhando na estação Anhangabaú, segundo testemunhas ele foi violentamente abordado pelos funcionários. 

Câmeras de segurança registraram o momento em que um homem discute com seguranças, perde o controle e cospe no rosto de um deles. O segurança, então, imobiliza o homem com um mata-leão.

Uma mulher registra a situação, as imagens mostram que o homem se desespera, preocupado com o filho: “Minha criança, minha criança“.

Na filmagem, a mulher tenta acalmar o filho do ambulante, um bebê que estava no carrinho. “Moço, calma, não resiste. Seu filho está comigo”, falava. A criança chorava enquanto a mulher gritava para que os seguranças parassem de sufocar o homem.

Ela alerta que o homem vai ficar sem respirar. “Moço, não pisa no pescoço dele assim, ele vai ficar sem respirar”, diz a mulher.

O mata-leão, como o próprio nome diz, pode matar. Ele já é proibido na Polícia Militar de São Paulo e na Guarda Civil Metropolitana desde o ano passado.

Na ocasião, a PM explicou que a chave cervical foi banida para que a corporação se aperfeiçoe e modernize seus protocolos de atuação.

Em nota, o Metrô lamentou o episódio, informou que vai afastar os agentes de segurança para apuração dos fatos e contou que o homem de 21 anos iniciou o tumulto ao tentar impedir uma ação de fiscalização contra o comércio irregular. 

Ainda segundo o Metrô, o homem foi levado a Delegacia de Polícia do Metropolitano (Delpom), órgão de polícia judiciária, onde prestou depoimento e onde foi registrado um boletim de ocorrência.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui