Foto: Divulgação/Assessoria

O vereador Marcos Papa (Cidadania), enviou um requerimento para a Prefeitura de Ribeirão Preto questionando se houve a abertura de uma sindicância para investigar desdobramentos do depoimento do diretor da Aegea, José Carlos Amin, ao Gaeco, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, na ocasião das investigações da Operação Sevandija.

Amin revelou o pagamento de uma “mesada” de R$50 mil ao então diretor do Daerp, o Departamento de Água e Esgotos de Ribeirão Preto, Luiz Alberto Mantilla Rodrigues. O valor era dividido em metade para o diretor e a outra metade distribuída para sua equipe.

Veja:

A Operação Sevandija culminou na devolução de mais de R$70 milhões de reais aos cofres públicos, em um acordo com o Ministério Público, que evitou qualquer punição aos envolvidos na esfera cível. De acordo com retorno do promotor do Gaeco, Frederico Mellone de Camargo, dado ao vereador Marcos Papa, a investigação não chegou até os servidores da Daerp que recebiam a mesada.

O parlamentar esclareceu a situação ao programa Preto no Branco, do Centro de Notícias, nesta terça-feira (22).

Confira:

Os questionamentos foram enviados ao Daerp no requerimento do parlamentar com as seguintes perguntas:

  • Houve ou há alguma investigação sobre essa menção do declarante de pagamentos ilícitos à equipe do então Diretor do Daerp, Sr. Mantilla?
  • A equipe do então Diretor, que acompanhava as obras realizadas pela Aegea já foi identificada? Continuam atuando como servidores na autarquia? 

O Executivo e a autarquia ainda não responderam o requerimento do vereador Marcos Papa, tampouco os contatos da nossa reportagem até o fechamento desta edição.

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta