A CPI da Covid aprovou nesta quinta-feira (30) a convocação de três ex-médicos da Prevent Senior que integrariam o grupo que elaborou um dossiê com denúncias contra a operadora de saúde. Foram convocados George Joppert, Andressa Joppert e Walter Correa de Souza Neto.

O requerimento de convocação dos dois primeiros é do senador governista Marcos Rogério (DEM-RO). Ele argumenta que, em depoimento à comissão, o diretor-executivo da Prevent Pedro Benedito Batista Júnior afirmou que o casal alterou planilhas de um estudo para apontar que a operadora omitia mortes de pacientes com Covid-19 que receberam tratamento precoce.

Walter Correa de Souza Neto chegou a denunciar que estava sendo ameaçado por diretor da empresa Batista Júnior.

A cúpula da CPI já havia informado mais cedo nesta quinta-feira (30) que pretende ouvir na próxima semana 1 dos 12 médicos da Prevent Senior que elaboraram o dossiê. Com poucas exceções, os profissionais ainda se mantêm no anonimato temendo represálias.

“Na quarta-feira (6), a minha proposta é que nós ouçamos um dos médicos que atuaram dentro da Prevent Senior. Um daqueles 12 médicos”, afirmou Aziz na abertura da sessão.

O senador disse ainda que será ouvido no dia seguinte um representante da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), também para tratar das denúncias contra a Prevent. A CPI deve ser encerrada no dia 20 de outubro, com a votação do relatório final de Renan Calheiros (MDB-AL).

O dossiê relata que hospitais da Prevent Senior eram usados como “laboratórios” para estudos com medicamentos sem eficácia comprovada para o tratamento da Covid-19, como a hidroxicloroquina. Os familiares dos pacientes não seriam informados de que receberiam esses medicamentos.

Em sua fala, Morato confirmou essas denúncias e ainda relatou um elo entre a Prevent Senior, o Conselho Federal de Medicina e o chamado gabinete paralelo de aconselhamento do presidente Jair Bolsonaro sobre a pandemia. A operadora faria parte de um “pacto” para propagar medicamentos sem eficácia comprovada para o tratamento da Covid.

Um dos objetivos deste alinhamento, segundo a advogada, seria a elaboração de uma estratégia para evitar o fechamento da economia durante a pandemia, usando o tratamento precoce como “esperança” para a população.

Em uma revelação que chamou a atenção dos senadores, ela mencionou que o gabinete paralelo atuava em consonância com o Ministério da Economia, que defendia a estratégia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui