Em seu requerimento, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) afirma que Silva “é responsável por 5% de toda movimentação atípica feita pela VTClog"

O motoboy Ivanildo Gonçalves da Silva sacou milhares de reais em espécie para a companhia VTClog, investigada na CPI Covid. O nome do ex-empregado consta de um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) em posse da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, no Senado, que investiga a empresa. O motoboy trabalhou por 20 anos para a VTCLog, empresa que faz o transporte e o armazenagem de medicamentos para o Ministério da Saúde, inclusive as vacinas contra Covid.

O relatório do Coaf em poder da CPI mostra que Ivanildo fez, num período de apenas dois meses saques em dinheiro vivo num total de R$ 450 mil. Os saques ocorreram entre janeiro e fevereiro de 2018, mesmo ano em que a VTCLog fechou contrato com o Ministério da Saúde para assumir a logística de armazenamento e distribuição de medicamentos e vacinas da pasta.

A informação de que o motoboy fez saques em dinheiro vivo foi revelada pelo “Jornal de Brasília” na quarta-feira (25). O requerimento cita que a VTCLog movimentou de forma suspeita R$ 117 milhões nos últimos dois anos. O nome de Ivanildo Gonçalves é citado várias vezes no documento. Ele chegou a sacar, em diversos momentos, o montante R$ 4.743. 693. A maioria foi saques em espécie na boca do caixa.

Convocação

CPI da Covid aprovou nesta quarta-feira (25) a convocação do motoboy Ivanildo, que também está mira da CPI. Essa convocação reforça as investigações sobre possíveis  irregularidades na negociação de compras de vacinas pelo Ministério da Saúde. O requerimento é do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da Comissão.

Ivanildo assumiu que foi o autor da transação. Apesar do vultoso saque, o motoboy leva uma vida simples em Sobradinho, cidade satélite de Brasília, o que eleva as desconfianças de que Ivanildo pode ter sido laranja das irregularidades entre a VTCLog e o Ministério da Saúde.

Havia possibilidade que o depoimento dele ocorrer já nesta quinta (26) em  lugar do ex-secretário de Saúde do Distrito Federal, Francisco Araújo, mas os senadores optaram por chamar José Santana, da Precisa Medicamentos.

O relator da CPI também incluiu mais três pessoas na lista de investigados da Comissão: Francisco Maximiano, dono da Precisa Medicamentos; Roberto Dias, ex-diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde e suspeito de pedir propina na negociação de compra de vacinas; e Emanuel Catori, sócio da Belcher Medicamentos, empresa investigada pelos senadores com possíveis irregularidades entre o Ministério da Saúde e o deputado federal Ricardo Barros (PP-PR).

Proteção policial

A cúpula da CPI da Covid informou nesta quinta-feira (26) que pedirá à Polícia Federal proteção ao motoboy Ivanildo. 

De acordo com o vice-presidente da comissão, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o colegiado foi informado de que Ivanildo Gonçalves passou a sofrer “pressões” após a reportagem do “Jornal de Brasília” noticiar indícios de movimentações suspeitas da empresa de logística.

Também por esse motivo a CPI decidiu antecipar para a próxima terça-feira (31) o depoimento do motoboy, cujo requerimento de convocação foi aprovado pelo colegiado nesta quarta-feira (25). Antes, o comparecimento de Ivanildo estava agendado para o dia 2 de setembro.

Deixe uma resposta