Foto: Marcos Corrêa/PR

 A reprovação a Jair Bolsonaro (sem partido) subiu e atingiu 51%, o maior índice nos 13 levantamentos feitos pelo Datafolha desde que o presidente assumiu o governo, em 2019.
A pesquisa foi feita presencialmente nos dias 7 e 8 de julho com 2.074 pessoas acima de 16 anos de forma presencial em 146 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou menos.

Já a avaliação positiva do presidente, que havia atingido seu pior nível com 24% em março, seguiu estável. Nesse sentido, o derretimento agudo da popularidade do mandatário estancou nesse levantamento, o que não deixa de ser uma boa notícia para o Planalto em meio ao festival de intempéries. Os que o consideram regular caíram de 30% para 24%, comparando com o levantamento de maio.

A erosão na popularidade presidencial é homogênea entre os diversos grupos socioeconômicos, com exceção de um recuo na reprovação entre mais ricos (seis pontos entre quem ganha de 5 a 10 salários mínimos e cinco, entre os que ganham mais de 10 salários).

É no grupo econômico mais populoso da amostra, dos que ganham até 2 salários, que a situação foi pior para o presidente. Entre eles, que compõem 57% da população, Bolsonaro viu sua reprovação acelerar de 45% para 54%.

Bolsonaro segue sendo avaliado negativamente por mulheres (56%), jovens de 16 a 24 anos (56%), pessoas com ensino superior (58%) e os mais ricos (58%), apesar do recuo indicado.

Já seu desempenho é visto como mais positivo por quem tem mais de 60 anos (32% de ótimo ou bom), mais ricos (32%) e entre quem ganha entre 5 e 10 mínimos (34%).

Adjetivos relacionados ao presidente Bolsonaro: A rejeição de Bolsonaro não tem sido surpresa pra população, que nas últimas enquetes mostraram sua insatisfação. Agora, o Datafolha resolveu descobrir, também, o que os brasileiros acham do atual presidente da República, e a maioria dos entrevistados revelou que acham justos os adjetivos colocados pela pesquisa.

Segundo a percepção do brasileiro, Bolsonaro é desonesto, falso, incompetente, despreparado, indeciso, autoritário e pouco inteligente, tai adjetivos mostram que a apreciação da imagem do atual chefe de Estado não é das melhores.

Deixe uma resposta