Vereador André Rodini, autor da moção. Foto: Câmara Municipal

O vereador André Rodini (Novo), de Ribeirão Preto, engatou uma verdadeira marcha a ré nesta quinta-feira (2) para provar que não é homofóbico. Rodini, com sua moção de repúdio contra o Papai Noel gay da Noruega, chegou aos trending topics do Twitter na quarta como repercussão da sessão de terça-feira (30).

Nesta quinta, então, o vereador usou a tribuna para dizer que foi mal interpretado e que não é homofóbico e pediu a anulação da moção. “Papai Noel é o espírito natalino. Não é homem, nem mulher. Fui mal interpretado e quero me retratar”, disse o vereador.

A derrubada do requerimento foi feita em votação englobada e teve 14 votos a favor com: Elizeu Rocha (PP), Gláucia Berenice (DEM), Jean Corauci (PSB), Franco Ferro (PRTB), Bertinho Scandiuzzi (PSDB), Judeti Zilli (PT), França (PSB), Marcos Papa (CID), Duda Hidalgo (PT), Matheus Moreno (MDB), Maurício Vila Abranches (PSDB), Ramon Todas as Vozes (PSOL) e Renato Zucoloto (PP), além do próprio Rodini.

A votação anterior, na sessão de terça-feira, havia sido assim:

Votaram a favor: André Rodini (Novo), a vereadora Gláucia Berenice (DEM), os vereadores Brando Veiga (REP), Bertinho Scandiuzzi (PSDB), Franco Ferro (PRTB) e Maurício Vila Abranches (PSDB).

Votaram contra: as vereadoras Duda Hidalgo (PT) e Judeti Zilli (PT) e os vereadores França (PSB), Marcos Papa (CID) e Ramon Todas as Vozes (PSOL). 

Votaram pela abstenção: Jean Corauci (PSB), Matheus Moreno (MDB), Maurício Gasparini (PSDB), Paulo Modas (PSL) e Renato Zucoloto (PP). Elizeu Rocha (PP), Igor Oliveira (MDB), Isaac Antunes (PL), Lincoln Fernandes (PDT) e Zerbinato (PSB) não votaram. Alessandro Maraca (MDB) também não votou, mas por ser presidente só tem obrigação de voto em caso de desempate. 

Saiba mais:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui