Foto: Divulgação

Em entrevista nesta terça-feira (22) ao programa “Preto no Branco”, aqui no CDN, o vereador Marcos Papa (Cidadania), criticou o repasse de R$17 milhões do Executivo ao consórcio PróUrbano. “Remendo novo em pano velho”, ele afirmou sobre a medida.

Segundo Papa, a prefeitura nunca fez a lição de casa em questões que o próprio contrato com a empresa que administra o transporte público aqui em Ribeirão Preto determina. “As clausulas 21 e 29 determinam que o consórcio forneça seus dados contábeis para a administração checar se os investimentos estão sendo feitos e se há equilíbrio econômico na operação”, explicou. “Mesmo eu pedindo com documentos a Prefeitura não mostra. Se ela não mostra, por quê vem pedir dinheiro? Não é o momento político, nem econômico”, ele diz.

Ainda de acordo com o vereador, o repasse autorizado pela Câmara, depois de proposta do Executivo, nem é lícito no contrato entre as partes, que define que o risco do negócio é da empresa, e não do poder público.

Confira o trecho da entrevista:

No dia 18, a Justiça deu 10 dias para a Prefeitura provar, com documentos, a necessidade do subsídio. A Administração tem até o dia 28 para justificar o repasse. Em meio ao impasse, nesta quarta-feira, uma mulher foi picada por um escorpião em um ônibus da linha Nova Aliança.

O programa “Preto no Branco” vai ao ar ao vivo, todos os dias, por facebook, youtube e twitch, às 19h, com exceção dos fins de semana.

Deixe uma resposta