O pedido de extradição do bolsonarista Allan dos Santos já está com o governo americano, que agora terá que decidir o que fazer. A ordem do ministro Alexandre de Moraes, do STF, chegou aos Estados Unidos na semana passada.

O influenciador é amigo do presidente da República.

O processo saiu de um departamento do Ministério da Justiça a caminho dos EUA dois dias antes de a decisão de Moraes ser divulgada, em outubro. a ideia da pasta é enviar o documento à Interpol e ao governo dos Estados Unidos, país para onde Allan dos Santos anunciou ter fugido em agosto de 2020, após ser alvo de operações autorizadas pelo STF, no âmbito do inquérito das fake news.

Moraes determinou a extradição de Allan dos Santos para que ele seja preso preventivamente. A decisão foi assinada pelo ministro em 5 de outubro e atendeu a um pedido da Polícia Federal.

A cúpula da pasta e do Palácio do Planalto ficaram sem informações sobre o caso e só souberam que a documentação de extradição havia sido encaminhada para o governo americano na segunda semana de novembro.

O ministerio diz ter recebido informações de que, embora o pedido de extradição já esteja nos Estados Unidos, até agora a Interpol não teria incluído o nome do blogueiro na lista de Difusão Vermelha. A inclusão fará com que ele seja preso assim que entrar em qualquer país que tenha parceria com a instituição.

A prisão de Allan dos Santos foi decretada por Moraes no âmbito da investigação que apura a existência de uma milícia digital voltada a desacreditar a democracia e as instituições. Na mesma decisão, ele pede a extradição do influenciador, que mora nos EUA desde que virou alvo de inquéritos no Supremo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui