Secretário da Infraestrutura, Carlos Eduardo Nascimento Alencastre, que assumiu o cargo em janeiro deste ano. Foto: Allan S. Ribeiro/Câmara Municipal

Durante a tarde de hoje (19), a Comissão Parlamentar de Inquérito do Tapa Buracos, que apura irregularidades nos serviços da operação tapa buracos e nos recapeamentos realizados em Ribeirão Preto.

Nesta primeira oitiva, os vereadores receberam o secretário da Infraestrutura, Carlos Eduardo Nascimento Alencastre, que assumiu o cargo em janeiro deste ano em sessão conduzida pelo presidente da comissão, vereador Alessandro Maraca (MDB), e com a participação dos vereadores e membros da CPI, Bertinho Scandiuzzi (PSDB), Franco (PRTB), Paulo Modas (PSL) e Zerbinato (PSB). A vereadora Duda Hidalgo (PT) também acompanhou a oitiva

Lembrado por Maraca que em 2020 quando a comissão acompanhou o trabalho executado pelas equipes próprias da prefeitura, não havia compactação, equipamentos adequados, e muito material era perdido. Após a fiscalização da comissão as equipes já estavam fazendo recorte, porém o trabalho foi suspenso com a pandemia, pois quem executava o serviço eram os reeducandos.

O secretário explicou que atualmente existem duas equipes próprias para o serviço, mas com afastamento de muitos servidores por pertencerem a grupos de risco ao Covid-19, somente uma equipe está disponível, com os reeducandos haviam quatro equipes.

Quanto às equipes terceirizadas, existem dois contratos vigentes. A CG Engenharia e Construtora Ltda mantém quatro equipes com quatro a cinco funcionários em cada uma delas. Essas equipes realizam recorte do asfalto e todas as equipes mantêm compactador. A segunda empresa, Converd Construção Civil, iniciou o contrato a semana passada. Também com quatro equipes, a empresa não efetua o recorte do asfalto, mas cumpri todas as normas técnicas.

Foi explicado por Alencastre que a secretaria mantém dois engenheiros e quatro encarregados, e todo serviço é acompanhado por eles, com fotografias antes e depois do reparo. Quanto aos equipamentos próprios da secretaria, hoje as placas vibratórias são alugadas, e, motoniveladoras e caminhões estão em processo de compras pelo Governo do Estado de São Paulo. O cronograma é semanal, com ajustes diários conforme a demanda.

Alguns locais foram lembrados pelos vereadores sobre a manutenção do asfalto. Maraca solicitou que a via Norte seja prioridade da secretaria, pois é uma via que une muitos bairros ao centro da cidade com fluxo de veículos intenso, assim como as avenidas ao entorno do Aeroporto. O secretário se comprometeu a mobilizar equipes para esta região.

Uma convocação do secretário de Obras será agendada pela comissão.

Deixe uma resposta