Uma menina de 6 anos recebeu por engano, na semana passada, uma dose de vacina contra a covid-19 em Criciúma (SC). O caso ocorreu no último dia 26, há uma semana, e foi confirmado hoje pela prefeitura do município, no sul do estado.

A profissional de saúde que vacinou a criança foi afastada. O caso é investigado pela Secretaria Municipal de Saúde. Conforme nota da prefeitura, a funcionária “foi afastada imediatamente das suas funções para averiguação do ocorrido e uma sindicância foi instaurada para apurar o caso”.

Os pais da menina a levaram ao posto para tomar uma vacina contra a gripe quando aconteceu o engano. O imunizante aplicado na criança, segundo a prefeitura, foi o da Pfizer.

A menina passa bem e está sendo acompanhada por um infectologista.

A Pfizer e a BioNTech já pediram ao Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora dos Estados Unidos, a autorização de uso emergencial para vacinar crianças de 5 a 11 anos. O pedido foi feito em outubro.

Estudos realizados pelos laboratórios apontaram que a vacina é segura e induz resposta imune em crianças de 5 a 11 anos. A vacina da Pfizer já é aplicada em adolescentes a partir de 12 anos.

O caso foi notificado como erro de imunização e informado à Dive-SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina).

Para prefeituras que passem por este problema, a orientação do órgão é que o erro de imunização seja informado no E-sus notifica, do Ministério da Saúde e o município deve acompanhar monitorar possíveis eventos adversos pós-vacinação na pessoa imunizada por engano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui