Imagem ilustrativa

A resistência aos antimicrobianos mobiliza a comunidade científica mundial, uma vez que as bactérias resistentes fazem 700 mil vítimas anualmente, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Só o Brasil contabiliza cerca de 20 mil mortes. E o uso descontrolado de antimicrobianos, que incluem os antibióticos, é um dos fatores para esse cenário, de acordo com o professor Leonardo Andrade, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP.

Para o professor, o combate a essa resistência passa por duas frentes: a dos cientistas que trabalham para desvendar todas as características dos microrganismos resistentes aos antimicrobianos, com foco em dados que possam levar a novos medicamentos, e aquela que deve reposicionar os remédios já existentes ou, até mesmo, levar a novas formas de tratar as infecções.

“A população pode contribuir com o uso racional dos antimicrobianos e com a utilização exatamente como prescrita pelo médico ou pelo cirurgião dentista”, enfatiza.

Cenário preocupante que traz graves problemas de saúde pública, conta Andrade, é o responsável pelo desenvolvimento de planos mundiais e nacionais de conscientização sobre o uso de antimicrobianos. “Tudo isso está sendo discutido em ações globais promovidas pela OMS na Semana Mundial de Conscientização sobre Antimicrobianos, de 18 a 24 de novembro”, informa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui