Quem tem gato pode confirmar que eles são uma excelente companhia para quem deseja conviver com um pet fascinante e divertido.

Atualmente são cerca de mais de 24,7 milhões de gatos no Brasil e o número vem crescendo. Um levantamento feito durante a pandemia revelou que houve um aumento de 30% de gatos nos lares brasileiros – 16% são tutores de primeira viagem. A previsão é que em menos de 10 anos os gatos sejam os pets predominantes.

“Quem está interessado em ter um gato em seu lar, deve ter em mente que é um compromisso para toda a vida. Os animais sentem dor, medo, saudade, alegria e tristeza, são parte da família e precisam de amor e cuidados”, afirma Flavio Silva, médico-veterinário.

A primeira dica diz respeito à castração, que traz muitos benefícios para a vida do pet. Aumenta a expectativa de vida, elimina os cios e a reprodução indesejada, reduz a probabilidade de doenças no sistema reprodutor e ainda torna o comportamento do felino mais amistoso com outros pets e humanos.

Com a castração, eles podem parecer mais preguiçosos, por isso é muito importante uma alimentação adequada para evitar que ganhem peso. O tutor deve consultar um médico-veterinário para saber qual o momento certo de castrar.

Outra dica se refere aos passeios fora dos limites do lar, que são um verdadeiro perigo para os gatos. Ao ter contato com outros animais, o pet pode contrair várias doenças, não achar o caminho de volta para casa e, no caso das fêmeas não castradas, engravidar.

Uma boa opção para os tutores é investir em um enriquecimento ambiental com arranhadores e brinquedos, por exemplo, para deixar o local em que o animal vive cada vez mais interessante. Não se esqueça que o lugar mais seguro para o melhor amigo é o seu lar.

A terceira dica está relacionada com a alimentação dos gatos, que são carnívoros estritos. Por isso um alimento à base de proteína animal é fundamental para o desenvolvimento muscular, de pele e pelos, além do bom funcionamento e harmonia fisiológica.

A alimentação também deve levar em conta o estilo de vida do gato, faixa etária, se o animal é ou não castrado e se tem alguma doença. Os alimentos de alta qualidade, e nas quantidades certas, proporcionam uma boa nutrição ao longo de toda a vida. Lembre-se: um gatinho bem alimentado é um gatinho mais saudável e feliz.

A quarta e importante dica é sobre a saúde do felino, que também deve ser levada em conta. Assim como os humanos, os animais de estimação também estão sujeitos a doenças e podem ser protegidos com vacinas e vermífugos.

Por último, os animais devem ter um espaço adequado, com abrigo do sol, da chuva e do vento, uma cama quentinha e muito amor.

As janelas sempre devem ser teladas! É importante que o local tenha portões e redes de proteção, mas o gato não deve ser preso com correntes, cordas ou similares.

Se houver mais pets convivendo na casa, todos devem ter a mesma atenção, mantendo uma convivência em espaço adequado, com acessórios individualizados, como caixa de areia, comedouro, bebedouro etc.

Consulte sempre o médico-veterinário.

Deixe uma resposta