Imagem ilustrativa

Em 2020, Ribeirão Preto registrou taxa de mortalidade infantil de 7,2 (número de óbitos em menores de um ano de idade por mil nascidos vivos), o mais baixo índice já registrado na história da cidade. Os dados são da Divisão de Vigilância Epidemiológica – SICAEV, Departamento de Vigilância em Saúde, órgão da Secretaria Municipal da Saúde, e fazem parte do Plano Municipal de Saúde.

A mortalidade infantil abrange a soma dos óbitos ocorridos nos períodos neonatal precoce (zero a seis dias de vida), neonatal tardio (sete a 27 dias) e pós-neonatal (28 dias e mais). O Coeficiente de Mortalidade Infantil (CMI) estima o risco de um nascido vivo morrer durante o seu primeiro ano de vida, sendo geralmente classificado em: alto (50 ou mais), médio (20 a 49) e baixo (menos de 20).

Em Ribeirão Preto, o CMI vem se mantendo em baixos níveis. “Ribeirão Preto se destaca mais uma vez nesse quesito, pois as altas taxas de mortalidade infantil refletem, de maneira geral, nos baixos níveis de saúde, de desenvolvimento socioeconômico e de condições de vida, a causas preveníveis, relacionadas ao acesso e utilização dos serviços de saúde, além da qualidade da assistência pré-natal, ao parto e ao recém-nascido”, explica o secretário municipal da Saúde, Sandro Scarpelini.

Coeficiente de Mortalidade Infantil, de residentes de Ribeirão Preto, período 1994 a 2020:

Deixe uma resposta