Portrait of sad young woman with long red hair on gray background

Os casos de vícios, ansiedade e depressão aumentaram muito durante a pandemia. A mudança brusca de rotina impactou pessoas que anteriormente não tinham histórico de transtorno mental e algumas que já se apresentavam estáveis.

Segundo a psicóloga Célia Siqueira, a depressão é uma doença mental silenciosa, que facilmente pode se manifestar de diversas formas, é capaz de gerar emoções negativas, pensamentos distorcidos e induzir ao suicídio. 

No Brasil, todos os dias cerca de 32 pessoas dão fim a própria vida. O número corresponde a uma morte a cada 45 minutos. Um estudo feito pelo CVV apontou que, para cada suicídio, um grupo de até 20 pessoas é impactado diretamente.

“Superar frustações e vencer os distúrbios psicológicos não é nada fácil, por isso a busca por ajuda rápida é imprescindível para evitar complicações. Manter vínculos sociais é muito importante para as pessoas que possuem comportamentos suicidas, principalmente ter o apoio da família e amigos”, diz Célia.

As pessoas próximas devem ficar em alerta, a maioria dos suicídios é precedida por sinais verbais ou comportamentais, como tristeza excessiva, isolamento, raiva, perda de interesse ou mudança repentina de comportamento. Além da depressão e vícios (abuso de álcool e drogas), a esquizofrenia, transtorno afetivo bipolar e transtornos de personalidade, também podem levar ao suicídio.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui