A variante Delta do coronavírus já está presente em 12 estados brasileiros. Estudos divulgados pelo governo britânico apontam que a nova variante é 40% mais transmissível que as outras cepas. Outros levantamentos alertam que a Delta pode gerar uma carga viral 1.260 vezes maior do que o coronavírus original. Além disso, a nova cepa pode ser mais discreta que as demais: seus sintomas se assemelham a de um resfriado, não ocorrendo a perda de olfato e paladar como acontecia com as variantes Alfa, Beta e Gama. 

A professora Claudia Furlan, coordenadora do curso de Enfermagem da Anhanguera, explica que com o avanço da variante, é necessário aumentar a cobertura vacinal e continuar mantendo as medidas de prevenção, pois isso pode evitar a proliferação da nova cepa. “É importante a população manter as medidas preventivas e estar ciente da importância da imunização para barrar o avanço da doença. Todas as vacinas utilizadas no Brasil são seguras e salvam vidas”, argumenta a professora. 

Cuidados com a nova cepa 

Os cuidados também precisam ser redobrados. Pesquisadores da plataforma Info Tracker compararam dados de regiões e estimasse que o mês de Setembro podemos ter um aumento significativo no número de casos em São Paulo por conta desta variante. Segundo Claudia, o uso de álcool gel, o distanciamento e o uso das máscaras continuam sendo fundamentais para evitar o contágio. “Além da vacinação é importante manter os cuidados que já estão sendo realizados desde o início da pandemia: usar máscara corretamente, higienização constante das mãos e manter o distanciamento social sempre que possível”. 

Variante pelo Brasil 

O Ministério da Saúde informou que até o momento foram registrados 497 casos da variante Delta no Brasil, o que resultou em 25 óbitos. Os estados que mais registraram casos da nova cepa são: São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, além do Distrito Federal. 


Deixe uma resposta