Um coquetel de drogas experimentais contra a Covid-19, desenvolvido pela farmacêutica britânica AstraZeneca, se mostrou eficaz na redução de casos graves e mortes em pacientes não hospitalizados, informou a companhia nesta segunda-feira (11) em um comunicado.

Os resultados ainda não foram avaliados por outros cientistas nem publicados em revista científica. A AstraZeneca produz a chamada vacina de Oxford – fabricada no Brasil em parceria com a Fiocruz.

O medicamento, chamado AZD7442, reduziu em 50% o risco de desenvolver a forma grave da doença e morte em pacientes sintomáticos, afirmou a farmacêutica. O estudo acompanhou cerca de 900 pacientes em 96 países, incluindo a testagem em participantes brasileiros.

O medicamento mostrou uma redução significativa de casos graves e mortes por Covid-19 em pacientes considerados do grupo de risco.

Dos 903 voluntários inscritos, 90% eram pessoas com alto risco de progressão para Covid-19 grave, incluindo os pacientes com comorbidades. Nos estudos desse grupo, a probabilidade de desenvolver um quadro grave ou ir a óbito por Covid-19 cai 50% em pelo menos sete dias.

O coquetel é o primeiro tratamento que chegou a fase de teste em humanos a demonstrar eficácia contra a Covid-19. A AstraZeneca também informou na nota que discutirá os dados do estudo com as autoridades de saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui