Golpes usando a Covid-19 como desculpa foram as principais ameaças do segundo trimestre deste ano, aponta relatório da ESET

0

 A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) foi o destaque do ano e, agora, vários países estão em processo de adaptação ao “novo normal”. A ESET, empresa de detecção proativa de ameaças, elaborou um relatório sobre os principais ciberataques ocorridos no segundo trimestre de 2020, em meio a essa transformação digital. 

As campanhas que usaram do problema da pandemia de Covid-19 como isca em ataques a sites e e-mail, com golpistas tentando tirar o máximo proveito da crise de saúde, estão em constante afluxo. Globalmente, a telemetria também mostrou um aumento nos e-mails de phishing (tentativa fraudulenta de obter informações confidenciais)se passando por DHL, um dos principais serviços de entrega de pacotes do mundo (um aumento de dez vezes em comparação com o primeiro trimestre) direcionados a compradores online. O aumento dos ataques continuou no segundo trimestre deste ano, com tentativas persistentes de estabelecer conexões que dobraram desde o início do ano.

Os ataques de ransomware (código malicioso usado para extorquir vítimas) foram um dos que tiveram um desenvolvimento mais rápido no segundo trimestre do ano, com alguns operadores abandonando a tendência de vazamento de dados aleatórios, e indo leiloar os dados roubados na dark web. Esse tipo de ameaça também apareceu na plataforma Android sob o disfarce de um aplicativo de rastreamento de contatos de Covid-19 voltado para usuários no Canadá. Os pesquisadores da ESET interromperam rapidamente esta campanha e forneceram um descriptografador para as vítimas. 

Entre muitas outras descobertas feitas durante o segundo trimestre, a ESET realizou a Operação In(ter)ception, que visava empresas aeroespaciais e militares de alto perfil. Na investigação, o modus operandi do grupo InvisiMole foi relevado, uma estrutura de espionagem cibernética projetada para comprometer redes isoladas. Na América Latina, os pesquisadores da ESET também descobriram o botnet VictoryGate usado principalmente para minerar criptomoedas e colaboraram para sua subsequente interrupção .

Para te ajudar a ficar em casa 

A ESET aderiu à campanha #FiqueEmCasa, oferecendo proteção para dispositivos e conteúdos que ajudam os usuários a aproveitar os dias em casa e garantir a segurança dos pequenos enquanto se divertem online em meio à pandemia. 

No site, os usuários podem ter acesso a: ESET INTERNET SECURITY para proteger todos os dispositivos domésticos, Guia de Teletrabalho, com práticas para trabalhar em casa sem riscos, para acessar cursos online que auxiliam a tirar mais proveito da tecnologia e o DigiPais, para ler conselhos sobre como acompanhar e proteger crianças na web. 

A ESET possui o portal #quenãoaconteca, com informações úteis para evitar que situações cotidianas afetem a privacidade online. 

Para saber mais sobre segurança da informação, entre no portal de notícias da ESET: http://www.welivesecurity.com/br/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui