Os pais do adolescente que abriu fogo em sua escola em Michigan, norte dos Estados Unidos, deixando quatro mortos, foram presos neste sábado (4/12) após indiciamento por homicídio culposo. James e Jennifer Crumbley, pais do jovem, foram indiciados por quatro acusações de homicídio culposo cada um, e caso sejam condenados podem pegar até 15 anos de prisão.

O assassino, identificado como Ethan Crumbley, de 15 anos, responderá por assassinato, terrorismo e outros crimes.

James e Jennifer Crumbley, país do garoto Ethan, são acusados de negligência e responderão por permitirem que a arma, comprada na Black Friday, fosse encontrada pelo rapaz. Responderão também por não retirar o jovem da escola quando os diretores da instituição pediram isso, horas antes do assassinato em massa.

Após uma vasta operação de busca pela polícia e pelo FBI, eles foram localizados em um complexo industrial em Detroit, a cerca de 60 quilômetros do tiroteio, perto de seu veículo, que foi encontrado pouco antes.

Quatro estudantes, com idades entre 14 e 17 anos, morreram e outros seis ficaram feridos além de um professor no ataque a tiros ocorrido após o meio-dia de terça-feira na pequena localidade de Oxford, 65 km ao norte de Detroit.

De acordo com as autoridades, o tiroteio durou cerca de cinco minutos e o jovem assassino se rendeu à polícia momentos depois.

Ethan Crumbley, que se entregou à polícia sem oferecer resistência, foi acusado de “homicídio” e “ato terrorista” e poderá passar o resto da vida na prisão, pois é processado como se fosse maior de idade.

Em um episódio relatado pelos investigadores, os professores pegaram o adolescente com munição na escola na véspera do massacre. A mãe, então, enviou a seguinte mensagem: “LOL (risos). Não estou brava com você. Você tem que aprender a não ser pego”.

Segundo a polícia, o jovem gravou um vídeo na véspera do tiroteio em seu celular, onde anunciava sua intenção de usar sua arma na escola, mas não compartilhou esse conteúdo.

No dia do ataque, Ethan Crumbley foi chamado com os pais por autoridades da escola, que viu com “preocupação” uma anotação encontrada por uma professora na mesa do adolescente, disse McDonald.

Um desenho de uma pistola semiautomática e balas, em meio a frases como “Os pensamentos não vão parar. Ajudem-me”.

Em outra parte, em meio a imagens de de balas estava escrito: “Sangue por todo lado”, “Minha vida é inútil” e “O mundo está morto”.

McDonald disse que quando Jennifer Crumbley soube do ataque, enviou uma mensagem de texto ao filho, dizendo: “Ethan, não faça isso”.

Quando James Crumbley ouviu a notícia, ligou para o número de emergência 911 para informar que faltava uma arma em sua casa e acreditava que seu filho pudesse ser o atirador, acrescentou.

A investigação policial revelou que a arma tinha sido guardada em uma gaveta sem chave no quarto de James e Jennifer.

As motivações do ataque permanecem um mistério porque Ethan Crumbley, que se declarou não culpado perante um juiz na quarta-feira, optou por permanecer em silêncio. Ele permanece recluso na prisão em regime de isolamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui